O século XXI

CORTEZ, Luís Augusto Barbosa; CRUZ, Carlos Henrique de Brito; SOUZA, Gláucia Mendes; CANTARELLA, Heitor; SLUYS, Marie-Anne van; MACIEL FILHO, Rubens;

Resumo:

Com o aumento do preço do petróleo na primeira década do século XXI, o etanol de cana-de-açúcar ganhou um novo impulso. Após diversas tentativas pelos sistemistas de introduzir no país uma variante da tecnologia flex que já vinha sendo aplicada nos Estados Unidos, e após a realização pelo IPT do seminário mencionado no Capítulo 3 de disseminação e conscientização sobre o potencial da tecnologia, a indústria automobilística percebeu que o consumidor demandava um veículo com motor flexível, que funcionasse com qualquer proporção de etanol na mistura combustível.A introdução da tecnologia flex-fuel representou um verdadeiro marco para o uso de biocombustíveis no Brasil. Nesse sentido, pode-se dizer que houve uma história antes e outra depois da introdução dessa tecnologia, segundo comunicação de Eduardo Carvalho, ex-presidente da Unica.

0:

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/9788521210627-04

Como citar:

CORTEZ, Luís Augusto Barbosa; CRUZ, Carlos Henrique de Brito; SOUZA, Gláucia Mendes; CANTARELLA, Heitor; SLUYS, Marie-Anne van; MACIEL FILHO, Rubens; "O século XXI", p. 115 -154. In: Proálcool - Universidades e Empresas: 40 Anos de Ciência e Tecnologia para o Etanol Brasileiro. São Paulo: Blucher, 2016.
ISBN: 9788521210627, DOI 10.5151/9788521210627-04