Da criação ao fim do Proálcool

CORTEZ, Luís Augusto Barbosa; CRUZ, Carlos Henrique de Brito; SOUZA, Gláucia Mendes; CANTARELLA, Heitor; SLUYS, Marie-Anne van; MACIEL FILHO, Rubens;

Resumo:

O recém-empossado presidente Ernesto Geisel, ex-presidente da Petrobras, tomou uma série de medidas na área do álcool e, em 14 de novembro de 1975, por meio do Decreto n. 76.593, o governo brasileiro criou o Programa Nacional do Álcool (Proálcool) (Menezes, 1980).Muitos foram aqueles que, com entusiasmo, defendiam o uso automotivo do álcool de cana-de-açúcar. Entre os mais conhecidos estavam José Walter Bautista Vidal1 (Figura 10), Lamartine Navarro Júnior, Luiz Gonzaga Bertelli, Tobias J. Barretto de Menezes, Cícero Junqueira Franco, Expedito José de Sá Parente, Ozires Silva (ex-presidente da Embraer, presidente da Petrobras de 1986 a 1988 e ministro da Infraestrutura de 1990 a 1991), Severo Fagundes Gomes (ministro da Indústria e Comércio de 1974 a 1977), João CamiloPenna (ministro da Indústria e Comércio de 1979 a 1984) e Antonio Dias Leite Júnior (ministro de Minas e Energia de 1969 a 1974).

0:

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/9788521210627-02

Como citar:

CORTEZ, Luís Augusto Barbosa; CRUZ, Carlos Henrique de Brito; SOUZA, Gláucia Mendes; CANTARELLA, Heitor; SLUYS, Marie-Anne van; MACIEL FILHO, Rubens; "Da criação ao fim do Proálcool", p. 29 -60. In: Proálcool - Universidades e Empresas: 40 Anos de Ciência e Tecnologia para o Etanol Brasileiro. São Paulo: Blucher, 2016.
ISBN: 9788521210627, DOI 10.5151/9788521210627-02