ISBN: 9788580392357

Páginas: 295

DOI: DOI 10.5151/9788580392357

A psicologia social e a questão do hífen

Nelson da Silva Junior, Wellington Zangari


Pré-textuais

Pre-textual

Parte 1 – Psicologia social: história e fundamentos

Part 1 - Social Psychology: History and Fundamentals

Parte 2 – Psicologia social e comunidades

Part 2 - Social Psychology and Communities

Parte 3 – Psicologia social e psicanálise

Part 3 - Social psychology and psychoanalysis

Parte 4 – Psicologia social e cidadania

Part 4 - Social Psychology and Citizenship

Parte 5 – Psicologia social e método

Part 5 - Social Psychology and Method

Parte 6 – Psicologia social e trabalho

Part 6 - Social Psychology and Work

A psicologia social nasce, no final do século XIX, a partir da constatação e conceitualização de processos psíquicos específicos às situações sociais. Processos de natureza psicológica que, contudo, não podem ser descritos como mera somatória da psicologia dos indivíduos. Por outro lado, tais processos tampouco podem prescindir dos indivíduos e de sua participação psicológica. Assim, a questão da precedência e da origem primeira entre esses dois âmbitos parece incontornável. Para além da tensão entre sua correção gramatical e seu uso no discurso, o hífen vale como uma metáfora gráfica de uma questão epistemológica de grande valor em psicologia social. Sua presença entre o “psico” e o “social” implicitamente assume que a articulação entre esses dois campos heterogêneos da experiência é posterior a sua existência. Sua ausência aponta para um quiasma entre os campos, sugerindo um elo anterior e irredutível a eles. Este livro, oriundo de um simpósio dos docentes do Programa em Psicologia Social do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (IP-USP), dedica-se a essa questão e se propõe a apresentar diferentes teorias sobre a questão do hífen em psicologia social.