Dispersão no Contexto das Metrópoles Nordestinas: Divergências e Repetições

MONTEIRO, Felipe Ferreira;

Resumo:

As cidades são atualmente o grande ambiente de vivência da humanidade, reflexo do crescente volume de pessoas que se concentra nas áreas denominadas urbanas. Historicamente, os países desenvolvidos foram os primeiros a apresentarem as mais elevadas taxas de urbanização e atualmente já se estima que mais de 50% da população do mundo vive em áreas urbanas. Regiões como Ásia, apresenta como perspectiva futura ter mais da metade da população habitando áreas urbanas, enquanto na África estima- se chegar a esses níveis a partir do ano 2035 (UNITED NATIONS, 2012).

-:

Palavras-chave:

DOI: 10.5151/9788580391381-11

Referências bibliográficas
  • ALVES, J. E. D. “A transição urbana no Brasil”. 2009. Disponível em Andlt; http://www.ie.ufrj.br/aparte/pdfs/art_64_transicao_urbana_07nov09.pdf Andgt;, acesso: 15/01/2014.
    ALVES, J. E. D.; CAVENAGHI, S. Tendências demográficas, dos domicílios e das famílias no Brasil, IE/UFRJ, Aparte, Rio de Janeiro, 2012b.
    ALVES, J. E. D.; CAVENAGHI, S. Transições urbanas e da fecundidade e mudanças dos arranjos familiares no Brasil. Cadernos de Estudos Sociais, Recife, v.27, n.2, p. 91-114, jul/ago, 2012a.
    ANGEL, S.; SHEPPARD, S.C. e CIVCO, D.L. The Dynamics of Global Urban Expansion. Transport and Urban Development Department, The World Bank, Washington DC, 2005.
    BAENINGER, R.; PERES, R.G. “Cenário do crescimento populacional das metrópoles brasileiras no século 21” em Cadernos de estudos Sociais. Recife, Vol. 27, n.2, p.38-57, 2012.
    BERTAUD, A.; MALPEZZI, S. The Spatial Distribuition of Population in 48 World Cities: Implications for Economies ir Transition. Wisconsin Real Estate Departament Working Paper, Madison, 2003. Disponivel em: Andlt; http://alainbertaud.com/AB_Files/Spatia_%20Distribution_of_Pop_%2050_%20Cities.pdfAndgt;. Acesso em 19/06/2009.
    CARVALHO, J.A M.; GARCIA, R. A. O envelhecimento da população Brasileira: Um enfoque demográfico. Cadernos de Saúde Pública. Vol.19 (3); Rio de Janeiro, 2003. Disponível em http://www.scielosp.org/ Acesso em 01/04/2010.
    CASTELLO BRANCO, M. L. G.; PEREIRA, R. H. M; NADALIN, V. G. Rediscutindo a delimitação das regiões metropolitanas no Brasil: um exercício a parir dos critérios de 1970. In: Território metropolitano, políticas municipais: por soluções conjuntas de problemas urbanos no âmbito metropolitano / Editores: Bernardo Alves Furtado, Cleandro Krause, Karla Christina Batista de França.- Brasília : Ipea, 2013.
    CASTELS, M. Urbanização, Desenvolvimento e Dependência: A Questão Urbana na America Latina. Ed. Universitária. Rio de Janeiro, 1978.
    CAMPOS FILHO, C. M. Cidades Brasileiras: seu controle ou o caos: O que os cidadãos devem fazer para a humanização das cidades no Brasil. 4 ed. São Paulo: Studio Nobel, 2001.
    EWING, R; HAMIDI, S. Measuring sprawl 2014, technical report, v.1, Smart Growth America, Washington, 2014. Disponivel em: Andlt;http://www.smartgrowtheamerica.org/resources.htmlAndgt;. Acesso em 30/05/2014.
    HABITAT/ONU . “Estado das cidades na America Latina e Caribe 2012: Rumo a uma nova transição urbana.”.2012. Disponível em Andlt;http://www.onuhabitat.org/index.php?option=com_docmanAndamp;task=doc_downloadAndamp;gid=816Andamp;Itemid=538Andgt;, acesso: 15/03/2014.
    HANHAM, R; SPIKER, J. S. Urban Sprawl detection using satellite imagery and geographically weighted regression In: Geo-Spatial Technologies in Urban Environments. Editor: Ryan R. Jensen, Jay D. Gatrell, Daniel D. McLean. 2005
    HASSE, J.; LATHROP, R.G. A housing-Unit-Level Approach to Characterizing Residencial Sprawl. Photogrammetric Engineering and Remote Sensing. V.69, n. 9, 2003.
    KRAFTA, R. Estrutura espacial urbana, centralidade e ordem simbólica na região metropolitana de porto alegre. In: Krafta, R. Analise espacial urbana: aplicações na RMPA. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2009.
    MARANDOLA, Jr,; OJIMA, R. Mobilidade populacional e um novo significado para as cidades: dispersão urbana e reflexiva na dinâmica regional não metropolitana. R. B. Estudos Urbanos e Regionais. v. 14, n. 2 / Novembro 2012
    MARTINE, G.; DINIZ, C. C. “Economic and Demographic Concentration in Brazil: Recent Inversion of Historical Patterns.” em GavinJones and Pravin Visaria (eds.) Urbanization in Large Developing Countries: China, Indonesia, Brazil and India. Clarendon Press, Oxford, 1997.
    MATHIEU, M. R. A. A dispersão urbana como problema maior do desenvolvimento urbano sustentável. Seminário a questão ambiental urbana: Experiências e perspectivas. UNB, 2004
    MONTEIRO, F. M. A Cidade não para, a cidade só cresce: Análise do processo de dispersão urbana e impacto na dinâmica populacional. 2015. Dissertação (Mestrado em Demografia) Universidade Federal do Rio Grande do Norte. UFRN. Natal. 2015.
    MCGRANAHAN, G., MARTINE, G. A Transição urbana Brasileira: Trajetória, dificuldades e lições aprendidas. In: População e Cidades: Subsídios para o planejamento e políticas sociais. UNFPA. Org. Rosana Baeninger. Brasília. 2010.
    MONTE MOR, R. L. O que é o urbano no mundo contemporâneo, in: Texto para Discussão, UFMG/Cedeplar, Belo Horizonte. 2006.
    OJIMA, R. Análise Comparativa da dispersão urbana nas aglomerações urbanas brasileiras: Elementos teóricos e metodológicos para o planejamento urbano e ambiental. 2007. Tese (Doutorado em Demografia) Universidade Estadual de Campinas. UNICAMP. Campinas. 2007.
    OJIMA, R. et al. O estigma de morar longe da cidade: repensando o consenso sobre cidades dormitório no Brasil, in: Anais do XXXII Encontro da ANPOCS, Caxambu, 2008, Anpocs.
    OJIMA, R, MONTEIRO, F. F.; NASCIMENTO, T. C. L. Urbanização dispersa e mobilidade no contexto metropolitano de Natal: a dinâmica da população e a ampliação do espaço de vida. R. B. de Gestão Urbana. v. 7, n. 1 / Jan.-Abr. 2015.
    REIS FILHO, A. A. Análise Integrada por Geoprocessamento da Expansão Urbana de Teresina com Base no Estatuto da Cidade: Estudo de Potencialidades, Restrições e Conflitos de Interesses. 2012. Tese (Doutorado em Geografia) Universidade Federal de Minas Gerais. UFMG. Belo Horizonte. 2012.
    SEVTSUK, A.; AMINDARBARI, R. Measuring growth and change in metropolitan form: Progress report on urban form and land use measures. City Form Lab: 2012.
    SIERRA CLUB. Sierra Club Report on Sprawl. 1998.
    SILVA, H.; MONTE-MÓR, R. L. Trasições demográficas, transição urbana, urbanização extensiva: Um ensaio sobre diálogos possíveis. Anais ABEP. 2010. Disponivel em: Andlt;www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2010/docs_pdf/tema_3/abep2010_2530.pdfAndgt;
    UNITED NATIONS. “World Population Prospects: The 2011 Revision – highlights”. 2012. Disponível em Andlt;http://esa.un.org/unpd/wup/pdf/WUP2011_Highlights.pdfAndgt;, acesso: 28/02/2014
Como citar:

MONTEIRO, Felipe Ferreira; "Dispersão no Contexto das Metrópoles Nordestinas: Divergências e Repetições", p. 113-132 . In: Dispersão Urbana e Mobilidade Populacional. São Paulo: Blucher, 2016.
ISBN: 978-85-8039-138-1, DOI 10.5151/9788580391381-11