Correlação entre ordem verbo-sujeito e sujeito nulo: a trajetória da mudança no português de Santa Catarina

COELHO, Izete Lehmkuhl; SILVA, Gésyka Mafra; ZIBETTI, Érica Marciano de Oliveira;

Resumo:

Estudos formais sobre a representação do sujeito no português brasileiro (PB) apontam uma mudança no parâmetro do sujeito nulo. O PB estaria passando de uma língua de sujeito nulo [+pro-drop] para uma língua de sujeito expresso [-prodrop]. A literatura gerativista tem associado às línguas positivamente marcadas em relação ao parâmetro do sujeito nulo um conjunto de propriedades que as diferenciam das línguas negativamente marcadas em relação a esse parâmetro, a saber:
a. sujeito pronominal nulo;
b. inversão “livre” de sentenças simples;
c. movimento longo de qu-sujeito;
d. pronomes resumptivos vazios em orações encaixadas;
e. aparente violação do filtro *[that-t].
Em línguas como o italiano – línguas reconhecidamente de sujeito nulo –, todas essas propriedades são respeitadas2. Segundo Chomsky (1981), em línguas prototipicamente [+pro-drop], o sujeito nulo é na verdade uma forma default; o sujeito só é expresso, nesse caso, se houver uma motivação relacionada a questões de ênfase ou de contraste, ou, ainda, uma motivação relacionada à intenção de evitar a ambiguidade.

0:

Palavras-chave: ,

DOI: 10.5151/9788580391466-02

Referências bibliográficas
  • BERLINCK, R. DE A. A ordem V SN no português do Brasil: sincronia e diacronia. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 1988.
    ______. A construção V SN no português do Brasil: uma visão diacrônica do fenômeno da ordem. In: TARALLO, Fernando (Org.). Fotografias sociolingüísticas. São Paulo: Pontes, 1989, p. 95-112.
    ______. La position du sujet en portugais: etude diachronique des variétés brésilienne et européene. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculteit Letteren, Katholieke Universiteit Leuven, Leuven, 1995.
    BERLINCK, R. de A.; COELHO, I. L. A ordem do sujeito em construções declarativas na história do português brasileiro. In: História do Português Brasileiro. V. 3: Mudança gramatical do português brasileiro, Tomo 3: Mudança sintática na perspectiva formalista. No prelo.
    CHOMSKY, N. Lectures on government and binding. Dordrecht: Foris, 1981.
    COELHO, I. L. A ordem V DP em construções monoargumentais: uma restrição sintático-semântica. 2000, 245f. Tese (Doutorado em Linguística), Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2000.
    ______. Variação na sintaxe: estudo da ordem do sujeito no PB. In: RAMOS, J. M. (Org.). Estudos sociolinguísticos: quatro vértices do GT da ANPOLL. Belo Horizonte: Ed. UFMG, p. 84-99, 2006.
    COELHO, I. L.; BERLINCK, R. DE A. Variação e mudança dos padrões de inversão do sujeito no português escrito em diferentes localidades no Brasil oitocentista. 2012. Trabalho apresentado no II Congresso Internacional de Linguística Histórica – USP, São Paulo, 2012.
    COELHO, I. L.; MARTINS, M. A. A diacronia em construções XV na escrita catarinense. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 73-90, jan-jun, 2009.
    ______. Padrões de inversão do sujeito na escrita brasileira do século 19: evidências empíricas para a hipótese de competição de gramáticas. Alfa: Revista de Linguística, São Paulo, v. 56, n. 1, p. 11-28, 2012.
    COELHO, I. L.; ZIBETTI, E. M. de; MELO, L. C. orrelação entre realização e ordem do sujeito: a trajetória da mudança no português catarinense. Trabalho apresentado no IX Congresso Internacional da ABRALIN – UFPA, Pará, 2015.
    DUARTE, M. E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Editora da UNICAMP, 1993, p. 107-128.
    DUARTE, M. E. L.; MOURÃO, G. C.; SANTOS, H. M. Os sujeitos de 3ª pessoa: revisitando Duarte 1993. In: DUARTE, M. E. L. (Org.). O sujeito em peças de teatro (1833-1992): estudos diacrônicos. São Paulo: Parábola, 2012. p. 21-44.
    DUARTE, M. E. L. A perda do princípio “evite pronome” no português brasileiro. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 1995.
    KATO, M. A. A restrição de monoargumentalidade da ordem VS no português do Brasil. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 2, n. 1, p. 97-127, 2000.
    ______. The reanalysis of unaccusative constructions as existentials in Brazilian Portuguese. Revista do GEL, São Paulo, n. especial, p. 157-186, 2002.
    KATO, M. A. et al. Português brasileiro no fim do século XIX e na virada do milênio. In: CARDOSO, S. A. M.; MOTA, J. A.; MATTOS E SILVA, R. V. (Org.). Quinhentos anos de história lingüística do Brasil. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia, 2006. p. 413-438.
    KATO, M. A.; TARALLO, F. Restrictive VS syntax in Brazilian Portuguese: its correlation with invisible clitics and visible subjects. Trabalho apresentado na Georgetown Round Table in Languages and Linguistics, Washington, 1988.
    LABOV, W. Padrões sociolingüísticos. Tradução de Marcos Bagno, Marta Scherre e Caroline Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.
    LIRA, S. de A. Subject postposition in Portuguese. Revista DELTA, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 17-36, 1986.
    NUNES DE SOUZA, C. M. et al. O preenchimento do sujeito pronominal em textos escritos de alunos adolescentes de Florianópolis. Working Papers em Linguística, Florianópolis, n. especial, p. 94-107, 2010.
    NUNES DE SOUZA, C. M.; COELHO, I. L. Formas de tratamento em cartas pessoais de Santa Catarina. Trabalho apresentado no I Simpósio do Laborhistórico: História dos Pronomes de Tratamento no Português Brasileiro – UFRJ, Rio de Janeiro, 2015.
    RIBEIRO, I. M. DE O. A sintaxe da ordem do português arcaico: o efeito V2. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Unicamp, Campinas, 1995.
    ______. Sobre a perda da inversão do sujeito no português brasileiro.MATTOS E SILVA, R. V. (Org.). Para a história do português brasileiro. V. II, Tomo I – Primeiros estudos. São Paulo: Humanitas, 2001. p. 91-126.
    RIZZI, L. The new comparative syntax: principies and parameters of universal grammar. Cahiers Ferdinand de Saussure, Genève, n. 43, p. 65-78, 1988.
    SANTOS, D. DE R. A ordem VS/SV com verbos inacusativos: um estudo diacrônico. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.
    SANTOS, D. DE R.; SOARES DA SILVA, H. A ordem V-DP/DP-V com verbos inacusativos. In: DUARTE, M. E. L. (Org.). O sujeito em peças de teatro (1833-1992): estudos diacrônicos. São Paulo: Parábola, 2012. p. 121-142.
    SPANO, M. A ordem verbo-sujeito no português brasileiro e europeu: um estudo sincrônico da escrita padrão. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.
    TORRES MORAIS, M. A. C. R. Aspectos diacrônicos do movimento do verbo, estrutura da frase e caso nominativo no português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. A. (Org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Editora Unicamp, 1993. p. 263-306.
    WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Tradução de Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2006.
    ZILLES, A. M. S. A posposição do sujeito ao verbo no português falado no Rio Grande do Sul. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p. 75-96, 2000.
Como citar:

COELHO, Izete Lehmkuhl; SILVA, Gésyka Mafra; ZIBETTI, Érica Marciano de Oliveira; "Correlação entre ordem verbo-sujeito e sujeito nulo: a trajetória da mudança no português de Santa Catarina", p. 35-58 . In: FREITAG, Raquel Meister Ko.; SEVERO, Cristine Gorski; GÖRSKI, Edair Maria. (org). Sociolinguística e Política Linguística: olhares contemporâneos. São Paulo: Blucher, 2016.
ISBN: 9788580391466, DOI 10.5151/9788580391466-02